Robôs que fazem café invadem CES

Braços articulados mais inteligentes podem ser úteis na indústria.

Robôs preparam café em feira internacionalVocê já ouviu falar da CES? A feira é uma das maiores relacionadas a tecnologias de consumo e acontece todos os meses de janeiro, em Las Vegas. A edição de 2017 estava cheia de robôs que preparam café e chá.

Esqueça o tedioso trabalho de inserir uma cápsula. Nunca mais se preocupe com a água no fogão. O futuro é lindo e promete cafés preparados por braços eletrônicos que fazem de cappuccinos a filtrados. Não é demais?

Ok, estamos exagerando. A maior parte destas tecnologias nunca chegará às nossas casas. E falemos a verdade: um café preparado por um barista ou pela nossa mãe sempre vai ser mais gostoso, não é verdade?

Mas voltando à CES, várias empresas colocaram em exposição seus robôs. De acordo com Patrick Holland, que escreve para a CNET, o da Bosch, por exemplo, conseguia fazer lattes e cappuccinos. Já a Aubo preparava chás.

O robô da Bosch, além de preparar a bebida, também perguntava os nomes dos clientes e qual bebida ele desejava. Nada mal em termos de “atendimento ao cliente”. Ah, o repórter explica que a interação não era por voz, mas via uma projeção. O robô projetava as perguntas e o cliente respondia tocando nas opções desejadas.

Já o robô da Aubo esquentava a água, colocava as folhas de chá e servia o cliente. Um trabalho basicamente bem mecânico.

Um terceiro robô, da Denso, tinha dois braços articulados que trabalhavam em sincronia. Enquanto um deles preparava o filtro, o segundo servia o café.

Qual a real utilidade desses robôs?

Se esses robôs não serão comercializados para donos de cafeterias nem para o grande público, qual a utilidade deles? Na verdade, os equipamentos servem para mostrar tecnologias que estão sendo desenvolvidas e que tem aplicações diversas.

O robô da Bosch, por exemplo, mostra como humanos e máquinas podem interagir através de um sistema de projeção. Já os braços articulados são muito usados na indústria. Seu carro, por exemplo, pode ter sido construído em grande parte por um robô.

Quanto mais hábil e inteligente, mais rápido o equipamento será na execução de tarefas. O robô da Denso foi capaz de identificar quando a água quente acabou e tomou a decisão de ir buscar mais água. Ou seja: robôs que conseguem tomar decisões sem interferência humana são capazes de trabalhar sem interrupção na linha de produção quando um pequeno problema acontece.

E quer saber? É até bom que seja assim. Nada melhor do que chegar na sua cafeteria favorita e ter aquela conversa agradável com o barista.

Achou um erro ou um link quebrado? Clique aqui para reportar.