Anticafé tem ambiente de co-working e café à vontade

Cafeterias passam a cobrar por tempo de permanência, com café e doces à vontade

Você é daqueles que adoram trabalhar em cafeterias? Então conheça os “anticafés”. Nesses ambientes, é possível pagar por tempo de permanência para usufruir de café, chá e doces à vontade.

Em São Paulo, a cafeteria Lemni (www.facebook.com/LemniCafe) já trabalha com esse conceito. Ela fica na rua Simão Álvares, 781, em Pinheiros. Já a representante mais famosa do movimento é a cafeteria Anticafé (http://www.anticafe.eu), com unidades em Paris, Aix-en-Provence e Roma.

Anticafé: café à vontade e ambiente de co-working

Imagem de divulgação

O anticafé em São Paulo

Aqui no Brasil, a Lemni funciona da seguinte forma: o cliente paga uma taxa fixa, por intervalos de 15 minutos, com a primeira meia hora custando R$ 12. A cada 15 minutos de permanência adicional, o cliente paga mais R$ 3.

Enquanto está no local, o café e a comida são à vontade e o wi-fi também é liberado. Por dia, é possível ficar no local até o limite de R$ 66.

O objetivo do movimento é atrair pessoas que amam trabalhar em ambientes de cafeteria. Assim, além de trabalhar, o usuário também pode beliscar pães e bolos e tomar café e chá.

A Lemni foi inaugurada em junho de 2016. Além de poder consumir os itens da cafeteria, eles também colocam à disposição um micro-ondas e o cliente pode levar e esquentar a própria comida. Como o foco principal dessas cafeterias é propiciar um ambiente de co-working, o local acaba atraindo mais profissionais liberais do que gente interessada somente em comer.

Além do clima de colaboração, um outro ponto forte dos anticafés é o foco em alimentos de qualidade e em produtos artesanais.

Achou um erro ou um link quebrado? Clique aqui para reportar.